logo

Início > Música >

Rieg leva seu trip-hop em turnê por São Paulo e Brasília

04 de outubro de 2017 Foto: Rafael Passos / Divulgação



 

O trio Rieg (PB) inicia nesta quinta-feira (5) a turnê ‘Witchwitchwitch’ que levará shows a São Paulo e Brasília, como parte do lançamento do EP de mesmo nomes, que estará disponível em formato digital no mesmo dia que começa a turnê.

O grupo já se apresentou em diversos estados do Nordeste e Sudeste, além de passar por importantes festivais tocando músicas dos ‘The Histrionic’ (2011), ‘Fiver’ (2013), ‘I Don’t Know’ (2015) e ‘Leave It To Me’ (2016).

A intenção da banda é utilizar também os dias na estrada para realizar agendas de imprensa como entrevistas para jornais, portais, rádios, TVs, blogs, etc., além de se conectar com produtores e artistas de cada cidade.

O som de Rieg é pontilhado por trip-hop e pop experimental. O grupo foi formado em 2010 pelo vocalista norte-americano Rieg, o baixista paraibano Daniel Jesi (Burro Morto / Cabruêra) e o baterista também paraibano Nildo Gonzalez (Seu Pereira e Coletivo 401 / Sonora Sambagroove). Une a experiência e os diferentes backgrounds desses músicos para intensificar a complexidade do som e das letras, compostas em Inglês, alemão e português.

O EP ‘Witchwitchwitch’ será lançado nesta quinta (5) nas principais plataformas digitais e precede o lançamento do álbum conceitual ‘12:00’, previsto para início de 2018. Mas é já possível ouvir o single ‘Witchwitchwitch’, que foi lançado no dia 20 de setembro.

O mundo de ‘Witchwitchwitch’

Nesse 4º ato da narração, continuamos a história que compõe o ‘12:00’. Nos capítulos anteriores o adolescente encontrou caixas misteriosas guardadas no porão de sua casa com diversas fitas VHS sem descrição. Ao assistir esses vídeo tapes misteriosos, o adolescente entra num mundo fantasioso, conectando-se com o passado um tanto desconhecido do seu pai, como também entrando em contato com o seu próprio mundo inconsciente.

Em ‘Witchwitchwitch’, o adolescente fica cada vez mais atraído por esse novo mundo sombrio de deliriums e movimentos de desejo que eram até então proibidos pelo grupo superego. A música, as imagens e esse porão atraem o adolescente cada vez mais. O sonho feliz prometido que em ‘Leave it to me’, está se transformando mais em um feitiço de submissão pela escuridão em ‘Witchwitchwitch’. O medo, o desejo, a incerteza, se tornam cada vez mais ressaltadas; aquilo não gostamos nem de pensar, mas que inconscientemente desejamos fica em primeiro plano. A magia das bruxas da nossa mente não está necessariamente na alquimia mas sim nos simbologia.

‘Virgin Suicides’ é a continuação desse pesadelo de desejo. Fantasias sexuais que muitas vezes estão ligadas a proibição, ao medo, a incerteza. Como o primeiro ato sexual, preenchido de culpa pelo ego, e trocas constantes e inconscientes de energia e posições de poder e submissão. Mas, isso pode ser visto como um ato natural da organização mental. A angústia do desejo daquilo que acreditamos que não podemos ter, a ansiedade como força impulsionadora, e a resolução.

Na última composição desse EP, ‘Sundriedeyes’ relata o momento em que o adolescente é desiludido dos acontecimentos depois de começar de assistir as fitas VHS do pai, depois de ter entrado nesse mundo desconhecido, depois de ter vivido e sentido à flor da pele como era o pai de fato. De ter passado por tanta coisa, tanta trauma, o adolescente passa a sentir mais nada. O sentimento do vazio enche todo ser dele – nada importa, tudo é nada, apenas um estado entre a morte e a vida, a dormência. Ele volta não volta à estaca zero, mas sim, volta emocionalmente a tabula rasa.

A turnê

5/10 – Hotel Bar – São Paulo/SP

6/10 – Baderna Bar – São Paulo/SP

7/10 – Galpão Busca Vida – Bragança Paulista/SP

8/10 – Festival Febre – Sorocaba/SP

12/10 – Festival Móveis Convida especial Picnik – Brasília/DF

13/10 – GIG – São Carlos/SP

15/10 – Avenida Paulista – São Paulo/SP

 

(Da assessoria do artista)

CATÁLOGO DE PROFISSIONAIS

Quem sabe fazer sua festa

logo