logo

Início > Eventos >

TCE informa a Fórum de Forró que levantará gastos com festas juninas

11 de outubro de 2017 Foto: Ernane Gomes / Divulgação-PJE



 

O Tribunal de Contas do Estado fará um levantamento das despesas que as Prefeituras paraibanas tiveram com suas festas de São João. O foco está nos cachês dos artistas contratados para animar os eventos pagos com recursos públicos.

Esse foi um dos temas abordados durante visita feita ao procurador-geral de Justiça, Francisco Seráphico da Nóbrega Filho, pelo presidente do TCE, André Carlo Torres, e representantes do Fórum Forró de Raiz. O encontro ocorreu na terça-feira (10).

As informações colhidas no levantamento desses gastos juninos vão subsidiar os órgãos públicos para tomarem providências em defesa dos valores artísticos e culturais da Paraíba.

Luta por espaço

Os representantes do Fórum Forró de Raiz estão buscando o apoio dos órgãos para garantir a participação de artistas locais nas festas juninas. Essa mobilização cresceu neste ano, quando houve percepção de que ritmos de outras regiões suplantaram a presença da música nordestina nos principais eventos juninos pagos pelas Prefeituras.

O procurador-geral Seráphico da Nóbrega já havia sinalizado à entidade, em outro encontro com seus representantes, que o MPPB apoia a luta em defesa da cultura local e da conscientização de gestores que promovem festas com o dinheiro público. “Sentimos a necessidade de termos dados sobre as contratações de artistas de fora e locais para avaliarmos a situação e embasarmos qualquer recomendação que, porventura, possa ser feita aos municípios. Esse levantamento do TCE será o pontapé inicial para isso”, destacou.

O presidente do TCE destacou a facilidade de comunicação entre o TCE e o MPPB, como também de outros órgãos que podem atuar numa ação conjunta no futuro. “Nos próximos dias, vamos levantar os gastos detalhados nos municípios, inclusive, aqueles que envolvem recursos federais, e teremos condições de saber quanto se gastou, quais os artistas contratados e quem recebeu o maior volume de recursos, mirando principalmente nos cachês dos artistas que se apresentaram”, explicou.

Quem estava lá

A conversa entre os chefes do MPPB e TCE foi acompanhada pelos representantes do Fórum Forró de Raiz, Joana Alves (presidente), Beto Brito, Bira Delegado e o juiz Onaldo Queiroga. Eles compararam a relação entre as contratações de artistas de fora e os locais com “uma briga entre um elefante e uma formiga”.

Eles destacaram o avanço desta nova reunião no MPPB (o grupo já havia sido recebido pelo procurador, na semana passada), quando surgiu o questionamento sobre a possiblidade de ser feito o levantamento do TCE e uma ação conjunta entre os órgãos.

 

(Da Redação, com informações do site da PGJ)

CATÁLOGO DE PROFISSIONAIS

Quem sabe fazer sua festa

logo